x Perfil

Nome: Kris
Idade: 26 anos
Onde Mora: algures em Lisboa...
Contacto: kristyyna@sapo.pt

Damien Rice - Blower Daughter


x Adiciona-me




x Blogs Amigos



x Sites

x Links
- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis



x Votação

- Dê uma nota para o meu blog
- Indique este blog


x Contador

x Histórico

- 01/02/2009 a 28/02/2009

- 01/10/2008 a 31/10/2008

- 01/09/2008 a 30/09/2008

- 01/08/2008 a 31/08/2008

- 01/07/2008 a 31/07/2008

- 01/03/2008 a 31/03/2008

- 01/02/2008 a 29/02/2008

- 01/01/2008 a 31/01/2008

- 01/12/2007 a 31/12/2007

- 01/09/2007 a 30/09/2007

- 01/08/2007 a 31/08/2007

- 01/07/2007 a 31/07/2007

- 01/06/2007 a 30/06/2007

- 01/05/2007 a 31/05/2007

- 01/04/2007 a 30/04/2007

- 01/03/2007 a 31/03/2007

- 01/02/2007 a 28/02/2007

- 01/01/2007 a 31/01/2007

- 01/12/2006 a 31/12/2006

- 01/11/2006 a 30/11/2006

- 01/10/2006 a 31/10/2006

- 01/09/2006 a 30/09/2006

- 01/08/2006 a 31/08/2006

- 01/07/2006 a 31/07/2006

- 01/06/2006 a 30/06/2006

- 01/05/2006 a 31/05/2006

- 01/04/2006 a 30/04/2006

- 01/03/2006 a 31/03/2006

- 01/02/2006 a 28/02/2006

- 01/01/2006 a 31/01/2006

- 01/12/2005 a 31/12/2005

- 01/11/2005 a 30/11/2005

- 01/10/2005 a 31/10/2005

- 01/09/2005 a 30/09/2005

- 01/08/2005 a 31/08/2005

- 01/07/2005 a 31/07/2005

- 01/06/2005 a 30/06/2005

- 01/05/2005 a 31/05/2005

- 01/04/2005 a 30/04/2005

x Créditos




De repente as coisas não precisam mais fazer sentido. Satisfaço-me em ser.
Tu és?
Tenho certeza que sim.
O não sentido das coisas me faz ter um sorriso de complacência.
De certo tudo deve estar sendo o que é.
Hoje está um dia de nada. Hoje é zero hora.
Existe por acaso um número que não é nada? que é menos que zero?
que começa no que nunca começou porque sempre era? e era antes de sempre?
Ligo-me a esta ausência vital e rejuvenesço-me todo, ao mesmo tempo contido e total.
Redondo sem início e sem fim, eu sou o ponto antes do zero e do ponto final.
Do zero ao infinito vou caminhando sem parar. Mas ao mesmo tempo tudo é tão fugaz.
Eu sempre fui e imediatamente não era mais.
O dia corre lá fora à toa e há abismos de silêncio em mim.
A sombra de minha alma é o corpo. O corpo é a sombra de minha alma.
Este livro é a sombra de mim. Peço vénia para passar.


Excerto de «Um sopro de vida» de Clarice Lispector



- Postado por: Kris às 18h08
[ ] [ envie esta mensagem ]






Casa

Tentei fugir da mancha mais escura
que existe no teu corpo, e desisti.
Era pior que a morte o que antevi:
era a dor de ficar sem sepultura.

Bebi entre os teus flancos a loucura
de não poder viver longe de ti:
és a sombra da casa onde nasci,
és a noite que à noite me procura.

Só por dentro de ti há corredores
e em quartos interiores o cheiro a fruta
que veste de frescura a escuridão. . .

Só por dentro de ti rebentam flores.
Só por dentro de ti a noite escuta
o que sem voz me sai do coração.

David Mourão Ferreira



- Postado por: Kris às 20h27
[ ] [ envie esta mensagem ]






Longe



Há uma gramática aberta
no teu corpo, e soletro cada palavra
que o teu olhar me oferece.

Limpo as sílabas que te
escorrem pelo rosto com um lenço de
vidro, descobrindo a tua transparência.

E sais de dentro de um pó de
advérbios, para que eu te dê um nome,
e a vida volte a correr por ti.

(Texto: Nuno Júdice / Foto: Niqi Segers)



- Postado por: Kris às 10h35
[ ] [ envie esta mensagem ]






"Desejei-te ontem, demais, e hoje também. Todos os dias são o mesmo dia quando te desejo assim. Só penso em ti. És inigualável. De olhos fechados consigo encontrar-te noutros corpos, mas só o teu amo de olhos abertos. Amo-te demais. (...) Não te peço o teu amor. De ti não exijo nada. Mas nunca me digas que o amor é impossivel. Tu fazes-me viver, sonhar, acordar com pesadelos. Quando te escrevo tu não foges das minhas páginas. Acompanho o teu sorriso de longe e de perto, meu príncipe das trevas, lindo. Guardo comigo o teu olhar e sei que te recordas do meu corpo a tentar convencer-te que o meu amor é inteiro, embora nunca o seja o bastante. É bom desconfiar do amor porque ele às vezes é traiçoeiro, metamorfoseia-se em reles sentimentos, eras tu que mo dizias. Eu não concordo. Desculpa-me príncipe, o ter-te acordado hoje tão cedo. (...) Tu sabes que eu sou uma apaixonada. Perdoa-me. Diz qualquer coisa logo que possas. Sinto saudades, é só. Não existe corpo, não existe face, não existe sexo e existe tudo isso.

Só o amor é imortal, acredita."

(Pedro Paixao, in Asfixia)



- Postado por: Kris às 17h39
[ ] [ envie esta mensagem ]






Deixa-me ancorar nos teus braços
e sentir a ondulação do teu corpo.
Deixa que as gotas do teu ser
percorram a minha alma.
Quero mergulhar em ti
pois sei que jamais me deixarás naufragar.

(`'•.¸(`'•.¸ ¸.•'´) ¸.•'´)
« * K * R * I * S * »
(¸.•'´(¸.•'´ `'•.¸)`' •.¸)



- Postado por: Kris às 16h54
[ ] [ envie esta mensagem ]






Os meus amigos são tão poucos, e às vezes,
um a um, quase me esqueço de lhes dizer
a falta que me fazem... como quando por
exemplo numa sexta-feira à noite eu entro no café
e a cerveja nem me sabe a nada...

(Texto: José Carlos Barros / Foto: Tyler-Jordan)



- Postado por: Kris às 14h56
[ ] [ envie esta mensagem ]






Nunca são as coisas mais simples que aparecem
quando as esperamos. O que é mais simples,
como o amor, ou o mais evidente dos sorrisos, não se
encontra no curso previsível da vida. Porém, se
nos distraímos do calendário, ou se o acaso dos passos
nos empurrou para fora do caminho habitual,
então as coisas são outras. Nada do que se espera
transforma o que somos se não for isso:
um desvio no olhar; ou a mão que se demora
no teu ombro, forçando uma aproximação
dos lábios.

(Nuno Júdice)



- Postado por: Kris às 23h09
[ ] [ envie esta mensagem ]






É apenas o começo. Só depois dói, e se lhe dá nome.
Às vezes chamam-lhe paixão.
Que pode acontecer da maneira mais simples:
umas gotas de chuva no cabelo.
Aproximas a mão, os dedos desatam a arder inesperadamente,
recuas de medo.
Aqueles cabelos, as suas gotas de água são o começo, apenas o começo.
Antes do fim terás de pegar no fogo
e fazeres do inverno a mais ardente das estações.

(Eugénio de Andrade)



- Postado por: Kris às 17h12
[ ] [ envie esta mensagem ]






Feliz Dia dos Namorados!



- Postado por: Kris às 12h24
[ ] [ envie esta mensagem ]






Não preciso...

(foto de larafairie)

Não preciso que me olhes,
apenas que recordes a minha imagem constantemente.

Não preciso que me fales,
apenas que me acalmes silenciosamente.

Não preciso que me toques,
apenas que me envolvas calmamente.

Não preciso que me sigas,
apenas que me acompanhes embora estando ausente.

Porque és, sou e seremos... eternamente.

(`'•.¸(`'•.¸ ¸.•'´) ¸.•'´)
« * K * R * I * S * »
(¸.•'´(¸.•'´ `'•.¸)`' •.¸)



- Postado por: Kris às 10h47
[ ] [ envie esta mensagem ]






Partilho com vocês esta linda dedicatória que recebi de uma amiga:

Que palavras te poderei dar.
Senão palavras de amizade.
Que testemunho de ti poderei efectuar?!
Te juro que só direi a verdade.

Aqui nos encontrámos.
E foi mútua a empatia.
Muitas conversas partilhámos.
Uma pela outra nutrimos simpatia.

Menina madura.
De uma grande seriedade.
Amiga da forma mais pura.
E amadurecida para a sua idade.

Sei que estás desanimada.
Amiga, há que ter fé e lutar.
Estou aqui. Ainda que não possa fazer nada.
A palavra amizade é os amigos amparar.

Costumo as  tuas palavras recordar.
Em momentos de grande sofrimento.
Foram também elas que me fizeram continuar.
Que me ajudaram e deram alento.

Por isso, as minhas mãos nuas deves aceitar.
Mas cheias de amizade e carinho.
Se precisares estou aqui para te amparar.
Para venceres o árduo caminho.

Com grande amizade para a minha amiga Kris
Te adoro amiga
Gena

(Foto minha e flores oferecidas pela Gena)

Já agora, visitem o seu fabuloso blog: http://deusestanospormenores.blogspot.com/



- Postado por: Kris às 14h19
[ ] [ envie esta mensagem ]






"Nunca saberemos se os enganados
são os sentidos ou os sentimentos,
se viaja o comboio ou a nossa vontade
se as cidades mudam de lugar
ou se todas as casas são a mesma.
Nunca saberemos se quem nos espera
é quem nos deve esperar, nem sequer
quem temos de aguardar no meio
de um cais frio. Não sabemos nada.
Avançamos às cegas e duvidamos
se isto que se parece com a alegria
é só o sinal definitivo
de que nos voltámos a enganar."

(Amalia Bautista in Tres Deseos)

 

As adversidades são como as facas,

que nos podem ser úteis ou ferir-nos,

conforme as seguremos pela lâmina ou pelo cabo.

(James Russel Lowell)



- Postado por: Kris às 16h04
[ ] [ envie esta mensagem ]






As palavras sempre ficam

Se me disseres que me amas, acreditarei.
Mas se escreveres que me amas,
acreditarei ainda mais.

Se me falares da tua saudade,entenderei.
Mas se escreveres sobre ela,
eu a sentirei junto contigo.

Se a tristeza vier te consumir e me contares,
eu saberei.
Mas se a descreveres no papel,
o seu peso será menor."

...e assim são as palavras escritas:
possuem um magnetismo especial,
libertam, acalentam, invocam emoções.

Elas possuem a capacidade de,
em poucos minutos, cruzar mares,
saltar montanhas, atravessar desertos intocáveis.

Muitas vezes, infelizmente,
perde-se o autor, mas a mensagem
sobrevive ao tempo,
atravessando séculos e gerações.

Elas marcam um momento que será
enternamente revivido
por todos aqueles que a lerem.

VIva o Amor com palavras faladas e escritas.

Mate saudades, peça perdão, aproxime-se.

Recupere o tempo perdido, insinue-se.

Alegre alguém, ofereça um simples"bom dia".

Faça um carinho especial.

Use a palavra a todo o instante,
de todas as maneiras.

Sua força é imensurável.

Lembre-se sempre do poder das palavras.

"Quem escreve constrói um castelo,
e quem lê passa a habitá-lo"

(Silvana Duboc)



- Postado por: Kris às 21h15
[ ] [ envie esta mensagem ]






"Escrevendo,

quando não me sinto desgostosa nem indignada,

tenho também a impressão de que se podia ir carregando,

carregando sobre o coração...

que escrever é exactamente isto,

carregar no coração sem o violentar,

fazê-lo abrir."

(Irene Lisboa in "Solidão - II")



- Postado por: Kris às 16h23
[ ] [ envie esta mensagem ]






Mais uma manhã como tantas outras...

Saio de casa com destino ao local de trabalho. No elevador encontro alguém que me dá os bons dias deixando transparecer o seu aspecto sonolento. Retribuo e esboço um sorriso.

Caminho pela calçada...

A brisa fresca da manhã faz-me respirar fundo e pensar nas longas horas que ainda tenho pela frente e que peço a mim mesma que passem depressa.

Enquanto o meu pensamento vagueia por essas horas, vejo vultos repentinos que se cruzam à minha frente, até que desperto ao sentir o embater de um ombro no meu e... nem um pedido de desculpas.

Sigo caminho e invadem-me a cabeça pensamentos da minha rotina semanal e de todas aquelas visões diárias que passam por mim quase sem me aperceber.

Com os meus pensamentos misturam-se murmúrios de pequenas conversas, aromas variados que se fazem sentir pela rua, o “Até logo” de uma mãe ao deixar o filho à porta da Escola...

Multidões apressadas por caminhos gastos pela monotonia das suas vidas...

É assim que olho aqueles vultos, alguns já bem conhecidos por gravar na memória  aquele gesto, aquele “Olá”, um simples sorriso...

Pequenos actos que, parecendo banais, podem marcar a diferença. Melhorar a nossa relação com o Outro, tornarmo-nos mais Humanos...

 

(`'•.¸(`'•.¸ ¸.•'´) ¸.•'´)
« *
K * R * I * S * »
(¸.•'´(¸.•'´ `'•.¸)`' •.¸)



- Postado por: Kris às 20h36
[ ] [ envie esta mensagem ]






Que a tua alma dê ouvidos a todo o grito de dor,

tal como o lótus abre o seu coração

 para sorver o sol matutino.

(A Voz do Silêncio – antigo texto budista)



- Postado por: Kris às 09h49
[ ] [ envie esta mensagem ]






“Ninguém avança pela vida em linha recta.
Muitas vezes, não paramos nas estações indicadas no horário.
Por vezes, saímos dos trilhos.
Por vezes, perdemo-nos, ou levantamos voo e desaparecemos como pó.
As viagens mais incríveis fazem-se às vezes sem se sair do mesmo lugar.
No espaço de alguns minutos, certos indivíduos vivem aquilo que um mortal comum levaria toda a sua vida a viver.
Alguns gastam um sem número de vidas no decurso da sua estadia cá em baixo.
Alguns crescem como cogumelos, enquanto outros ficam inelutávelmente para trás, atolados no caminho.
Aquilo que, momento a momento, se passa na vida de um homem é para sempre insondável.
É absolutamente impossível que alguém conte a história toda, por muito limitado que seja o fragmento da nossa vida que decidamos tratar. “

(Henry Miller)



- Postado por: Kris às 13h10
[ ] [ envie esta mensagem ]






Dia Nacional dos Avós

Pelo reconhecimento do papel fundamental dos avós ao nível da família e da sociedade em geral comemora-se hoje o Dia Nacional dos Avós. O dia é celebrado desde 2003 e a data foi escolhida por que é também o dia de Santa Ana e de S. Joaquim, pais de Maria, avós de Jesus Cristo e padroeiros de todos os avós. Em Portugal, a instituição do Dia Nacional dos Avós no Parlamento tem em conta o "reconhecimento do papel fundamental dos avós ao nível mais restrito da família, quer no plano mais alargado da sociedade em geral".

Partilho com vocês um texto redigido por uma criança de 8 anos:

"Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros.
As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali.
Quando nos levam a passear, andam devagar e  não pisam as flores bonitas nem as lagartas.
Nunca dizem "Despacha-te!"
Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos.
Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma  fatia maior.
As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes.
Quando nos contam histórias, nunca saltam bocados e nunca se importam  de contar a mesma história várias vezes.
As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo.
Não são tão fracas como dizem, apesar de morreram mais vezes do que nós.
Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, principalmente se não tiver televisão."


- Postado por: Kris às 15h21
[ ] [ envie esta mensagem ]






São as Nossas Paixões que nos Irritam

Contra as dos Outros

São as nossas paixões que nos irritam contra as dos outros;
é o nosso próprio interesse que nos leva a odiar os maus;
se estes não nos fizessem nenhum mal, sentiríamos por eles mais piedade que ódio.
O mal que os maus nos fazem leva-nos a esquecer o mal que se fazem a si mesmos.
Perdoar-Ihes-íamos com mais facilidade os seus vícios se pudéssemos saber quanto os seus próprios corações os castigam.
Sentimos a ofensa e não vemos o castigo;
as vantagens são aparentes, o sofrimento é interior.
Aquele que crê gozar do fruto dos seus vícios não se sente menos atormentado do que se o não tivesse conseguido;
o objecto muda mas a inquietação é a mesma;
por mais que evidenciem a sua fortuna e escondam o seu coração, o seu comportamento demostra-o, mesmo sem que o queiram:
mas, para nos apercebermos disso, é preciso que não tenhamos um coração semelhante.
As paixões que nos dividem seduzem-nos;
as que chocam os nossos interesses revoltam-nos, e, por uma inconsequência que nos vem delas, criticamos nos outros o que desejaríamos imitar. A aversão e a ilusão são inevitáveis, quando somos obrigados a suportar, por parte de outrém, o mal que faríamos se estivéssemos no lugar dessa pessoa.
Então, que seria preciso para bem observar os homens?
Um grande interesse em conhecê-los, uma grande imparcialidade ao julgá-los, um coração bastante sensível para conceber todas as paixões humanas e suficientemente calmo para não as experimentar.

(Jean-Jacques Rousseau, in 'Emílio')



- Postado por: Kris às 16h25
[ ] [ envie esta mensagem ]






"A glória do mundo é transitória,
e não é ela que nos dá a dimensão da nossa vida
mas a escolha que fazemos de seguir a nossa lenda pessoal,
de acreditar nas nossas utopias e de lutar por elas.
Somos todos protagonistas da nossa existência e, muitas vezes,
são os heróis anónimos que deixam as marcas mais duradouras."

(Paulo Coelho in “Ser Como o Rio Que Flui”)



- Postado por: Kris às 14h48
[ ] [ envie esta mensagem ]






"DE TUDO, FICARAM TRÊS COISAS:

a certeza de que estamos sempre começando...
a certeza de que é preciso continuar...
a certeza de que seremos interrompidos antes de terminarmos...

PORTANTO, DEVEMOS FAZER:

da interrupção um caminho novo...
da queda um passo de dança...
do medo uma escada...
do sonho uma ponte...
da procura...um encontro."

(Fernando Sabino)



- Postado por: Kris às 17h17
[ ] [ envie esta mensagem ]






Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajecto, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televião o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os is em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho nos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho , quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva que cai incessante.

Morre lentamente quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.

SOMENTE A PERSEVERANÇA FARÁ COM QUE CONQUISTEMOS UM ESTÁGIO ESPLENDIDO DE FELICIDADE.

(Pablo Neruda)



- Postado por: Kris às 20h04
[ ] [ envie esta mensagem ]






Amor

Não sei amar assim, devagarinho...
Como se não fora o amor um sobressalto!
E porque quando o senti, gritou bem alto,
dele me desfiz, porque era espinho.
Dói em mim, o amor. Sempre doeu...
E é tão grande a dor, que me enlouquece;
que quando o sinto é bem maior que eu,
é bem maior do que o amor merece.

(Maria Seixas)



- Postado por: Kris às 18h04
[ ] [ envie esta mensagem ]






A Ti, Mãe

Passaram 19 anos mas o momento, esse, ainda o guardo comigo...
Levaste-me até ao portão. Seria ali que me deixarias. Separámos as mãos e dei um passo em frente. Olhei para trás e senti os olhos encherem-se de lágrimas. Fitei a tua cara e não foi preciso pronunciares qualquer palavra. A tua expressão deu-me força e sempre te esforçaste para me tornar capaz de enfrentar o que quer que fosse. Talvez nunca te tenha dito mas conseguiste-o, minha mãe!
A transposição daquele portão marcaria o meu primeiro dia de escola, o meu primeiro dia mais afastada de ti...
Ainda me lembro de te ver partir, com ar preocupada que não querias demonstrar mas que era notado em cada passo hesitante que davas.
Começava para mim uma nova jornada e, ainda que estivesses longe, sabia que estavas de alguma forma presente.
Nunca fui muito de me dar com estranhos, sabes disso, talvez tenha escutado com demasiada atenção os conselhos que me davas, lembras-te? Mas, naquele dia, apesar da despedida e de estar por minha conta, todo aquele mundo era novo para mim e saboreei-o tanto que as horas passaram a voar...
Voltei ao mesmo portão onde te tinha deixado naquela manhã e lá estavam os teus braços prontos para me receber. Tinha tanta vontade de te dar a conhecer o meu novo mundo que as palavras amontoavam-se na minha cabeça. Tenho a certeza que compreendeste tudo o que queria expressar.
Preparaste-me tão bem para o Mundo, minha Mãe, que hoje tento retribuir-te por tudo, mas ainda em vão...
Hoje noto que ficaram muitas palavras por dizer, muitos abraços por dar, muitos gestos por retribuir...
Todos os dias me convenço que damos demasiada importância ao que não temos, deixando de parte os mais preciosos sentimentos que possuímos.
Neste momento, sei que nem sempre te dei tudo o que mereces nem retribuí tudo o que me ofereceste. Por isso, antes que o tempo me falte e impeça as palavras de serem pronunciadas, quero agradecer-te por tudo o que sou hoje e dizer-te Amo-te Mãe!

Não deixem de dizer todos os dias a quem amam aquilo que sentem.
Amanhã poderão não ter oportunidade...

(`'•.¸(`'•.¸ ¸.•'´) ¸.•'´)
« * K * R * I * S * »
(¸.•'´(¸.•'´ `'•.¸)`' •.¸)



- Postado por: Kris às 13h23
[ ] [ envie esta mensagem ]






"Os outros vêem-me como sou,

ou sou como me vêem os outros?

O difícil não é saber como me vêem os outros.

Posso lê-lo nos seus olhares.

O difícil é descobrir quem sou eu."

(Vilém Flusser)



- Postado por: Kris às 09h31
[ ] [ envie esta mensagem ]






Infância perdida

"Só é possível ensinar

 uma criança a amar,

amando-a"

(Citação de Goethe e Foto de José Alves Filho)



- Postado por: Kris às 18h17
[ ] [ envie esta mensagem ]






Entendermo-nos com a Vida

Como é difícil entendermo-nos com a vida.
Nós a compor, ela a estragar.
Nós a propor, ela a destruir.
O ideal seria então não tentarmos entender-nos com ela mas apenas connosco.
Simplesmente o nós com que nos entendêssemos depende infinitamente do que a vida faz dele.
Assim jamais o poderemos evitar.
E todavia, alguns dir-se-ia conseguirem-no.
Que força de si mesmos ou importância de si mesmos eles inventam em si para a sobreporem ao mais?
Jamais o conseguirei.
O que há de grande em mim equilibra-se nas infinitas complacências da vida que me ameaça ou me trai.
E é nesses pequenos intervalos que vou erguendo o que sou.
Mas fatigada decerto de ser complacente, à medida que a paciência se lhe esgota em ser intervalarmente tolerante, ela vai-me sendo intolerante sem intervalo nenhum.
E então não há coragem que chegue e toda a virtude se me esgota na resignação.
É triste para quem sonhou estar um pouco acima dela.
Mas o simples dizê-lo é já ser mais do que ela.
A resignação total é a que vai dar ao silêncio.

(Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente 4')



- Postado por: Kris às 16h06
[ ] [ envie esta mensagem ]






A vida não é medida

pelo número de vezes que você respirou

Mas pelos momentos em que perdeu o fôlego…

de tanto rir…

de surpresa…

de êxtase…

de felicidade…



- Postado por: Kris às 19h14
[ ] [ envie esta mensagem ]






Lembro-me como se tivesse sido ontem...

Palavras ditas sem pensar,

palavras que nos atingiram e nos magoaram,

que chamaram à nossa presença o arrependimento de tudo o que foi vivido a dois.

Senti-me vazia e pedi que te afastasses...

Em simultâneo percorreu-me o corpo o medo do teu Adeus,

deixando notar o desejo de sentir-te

nem que fosse por mais um momento apenas.

Concedeste-me esse tempo e, com ele,

revivi as palavras antes ditas, uma por uma...

O tempo deu-me a oportunidade de me aperceber o quanto me fazes falta,

que só o medo de te perder me fez despertar

e acreditar que vale a pena continuar...

Hoje, ainda sinto em mim o beijo que selou o nosso compromisso,

 porque quem gosta verdadeiramente

 não é aquele que mais vezes diz "Amo-te"

 mas aquele que mais vezes assume o arrependimento dos seus actos.

(`'•.¸(`'•.¸ ¸.•'´) ¸.•'´)
« * K * R * I * S * »
(¸.•'´(¸.•'´ `'•.¸)`' •.¸)



- Postado por: Kris às 20h00
[ ] [ envie esta mensagem ]






Palavras e promessas

Palavras...tantas!
Ditas com fervor,
Nos momentos de amor,
As quais, mais me fizeram te amar!

Palavras...
Que se desvaneceram com o tempo,
Ditas sem pensar?

Promessas...tantas!
Juras feitas sem jurar,
Apenas entendidas por um simples olhar,

Promessas...
Que o tempo apagou?
E o amor...onde ficou?

(Fátima Rodrigues)

Estou sempre em ti…

Ainda que pressuponhas que a distância e a ausência que muitas vezes nos aparta levam de mim o aroma de tudo o que já partilhámos.

Ainda que penses que as minhas mãos em certos momentos ensaiam acenos e despedidas… continuo aqui, serenamente, à tua espera.

Ainda que, não estando tu sempre presente, consigo sentir o doce sussurro da tua voz a cada madrugada, lembrando-me que sempre fui tua, mesmo antes de te amar.

E na soma de todas as minhas certezas, sei que o teu caminho é aquele que te traz sempre para mim.

(Sussurros da Lua)



- Postado por: Kris às 15h52
[ ] [ envie esta mensagem ]






O poema me levará no tempo
Quando eu já não for eu
E passarei sozinha
Entre as mãos de quem lê

O poema alguém o dirá
Às searas

Sua passagem se confundirá
Como rumor do mar com o passar do vento

O poema habitará
O espaço mais concreto e mais atento

No ar claro nas tardes transparentes
Suas sílabas redondas

(Ó antigas ó longas
Eternas tardes lisas)

Mesmo que eu morra o poema encontrará
Uma praia onde quebrar as suas ondas

E entre quatro paredes densas
De funda e devorada solidão
Alguém seu próprio ser confundirá
Com o poema no tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen

(Imagem: Poem With Out Words by No Secrets)



- Postado por: Kris às 15h14
[ ] [ envie esta mensagem ]






Sonhos prometedores

Tenho mais pena dos que sonham o provável, o legítimo e o próximo, do que dos que devaneiam sobre o longínquo e o estranho.
Os que sonham grandemente, ou são doidos e acreditam no que sonham e são felizes, ou são devaneadores simples, para quem o devaneio é uma música da alma, que os embala sem lhes dizer nada.
Mas o que sonha o possível tem a possibilidade real da verdadeira desilusão.
Não me pode pesar muito o ter deixado de ser imperador romano, mas pode doer-me o nunca ter sequer falado à costureira que, cerca das nove horas, volta sempre a esquina da direita.
O sonho que nos promete o impossível já nisso nos priva dele, mas o sonho que nos promete o possível intromete-se com a própria vida e delega nela a sua solução.
Um vive exclusivo e independente; o outro submisso das contingências do que acontece.

Fernando Pessoa, in 'O Livro do Desassossego'

(Foto: Requiemof a Dream by isacg)



- Postado por: Kris às 16h15
[ ] [ envie esta mensagem ]






Era a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia


Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia


Era tarde, tão tarde, que a boca tardando-lhe o beijo morria.


Quando à boca da noite surgiste na tarde qual rosa tardia


Quando nós nos olhámos, tardámos no beijo que a boca pedia


e na tarde ficámos, unidos, ardendo na luz que morria


Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia


Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia.

(Ary dos Santos)

imagem de DarkdrAgonprincesss



- Postado por: Kris às 20h31
[ ] [ envie esta mensagem ]






Faltas-me
Como nos faltam as noites sem estrelas
Como nos faltam as manhãs belas
Não estar contigo, meu deus
como me dói

Faltas-me
Quando caminho quando choro ou quando rio
Quando o sol brilha, quando está muito frio
Porque te sinto como algo muito meu

Faltas-me
Como às árvores falta o outono
Nessas noites em que não concilio o sono
Não imaginas amor como me faltas

Faltas-me em cada passo que sinto solitário
Em cada momento que vivo todos os dias
Eu vou morrendo amor porque me faltas
Faltas-me quando a aurora começa a dar as suas cores

Com as tuas virtudes, com todos os teus erros
Por aquilo que quiseres, não sei
Mas faltas-me

(Armando Manzanero... Te Extraño)

 



- Postado por: Kris às 19h11
[ ] [ envie esta mensagem ]






Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.
E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!
Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e
o quanto minha vida depende de suas existências...
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.
Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer
o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.
Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que
estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.
Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro,
embora não declare e não os procure.
E às vezes, quando os procuro, noto que eles
não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis
ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu,
tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.
Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.
Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.
E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese,
dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.
Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima
por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...
Se alguma coisa me consome e me envelhece
é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado,
morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo,
todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam
ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.

(Vinícius de Moraes)



- Postado por: Kris às 14h27
[ ] [ envie esta mensagem ]






Quando eu morrer voltarei para buscar

Os instantes que não vivi junto do mar

(Sophia de Mello Breyner Andersen; Foto de Niko Guido)



- Postado por: Kris às 11h04
[ ] [ envie esta mensagem ]






Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas


Que já têm a forma do nosso corpo


E esquecer os nossos caminhos que nos levam sempre aos


mesmos lugares...


É o tempo da travessia


E se não ousarmos fazê-la


Teremos ficado ... para sempre ...


À margem de nós mesmos..."

 

(Fernando Pessoa)



- Postado por: Kris às 15h43
[ ] [ envie esta mensagem ]






Há palavras que nos beijam

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca.
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto;
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neill



- Postado por: Kris às 10h37
[ ] [ envie esta mensagem ]






Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado.
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada.
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da  noite.
Porque eu encostei minha face na face da noite e  ouvi a tua fala amorosa.
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço.
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos.
Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir.
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas.
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada


(Vinicius de Moraes)



- Postado por: Kris às 10h17
[ ] [ envie esta mensagem ]






Mal De Te Amar Neste Lugar De Imperfeição

Onde tudo nos quebra e emudece

Onde tudo nos mente e nos separa
 
Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo


(Sophia M. Breyner)

imagem de larafairie



- Postado por: Kris às 15h39
[ ] [ envie esta mensagem ]






"Se eu tivesse que resumir a vida em momentos felizes,


a resumiria na noite em que me fizeste


sorrir espontaneamente"

(André Pereira)



- Postado por: Kris às 19h08
[ ] [ envie esta mensagem ]






EU

Eu sou a que no mundo anda perdida,
Eu sou a que na vida não tem norte,
Sou a irmã do Sonho, e desta sorte
Sou a crucificada... a dolorida...

Sombra de névoa tênue e esvaecida,
E que o destino amargo, triste e forte,
Impele brutalmente para a morte!
Alma de luto sempre incompreendida!...

Sou aquela que passa e ninguém vê...
Sou a que chamam triste sem o ser...
Sou a que chora sem saber porquê...

Sou talvez a visão que Alguém sonhou,
Alguém que veio ao mundo pra me ver,
E que nunca na vida me encontrou!

(Florbela Espanca)

imagem de larafairie



- Postado por: Kris às 19h05
[ ] [ envie esta mensagem ]






Definir o amor é limitá-lo,


encarcerá-lo numa redoma

de palavras incompletas.



- Postado por: Kris às 21h26
[ ] [ envie esta mensagem ]






NINGUÉM PODE CONSTRUIR EM TEU LUGAR
AS PONTES QUE PRECISARÁS PASSAR,
PARA ATRAVESSAR O RIO DA VIDA
- NINGUÉM,
EXCEPTO TU, SÓ TU.
EXISTEM, POR CERTO,
ATALHOS SEM NÚMERO,
E PONTES,
E SEMI-DEUSES
QUE SE OFERECERÃO PARA LEVAR-TE ALÉM DO RIO;
MAS ISSO TE CUSTARIA A TUA PRÓPRIA PESSOA;
TU TE HIPOTECARIAS
E TE PERDERIAS.
EXISTE NO MUNDO UM ÚNICO CAMINHO POR ONDE SÓ TU PODES PASSAR.
ONDE LEVA?
NÃO PERGUNTES, SEGUE-O.

(NIETZSCHE)

[imagem: Victoria]



- Postado por: Kris às 18h14
[ ] [ envie esta mensagem ]






Em cada um de nós há um segredo,


uma paisagem interior


com planícies invioláveis,


vales de silêncio


e paraísos secretos.

(Saint Exupéry)

(imagem: Lara Jade)



- Postado por: Kris às 13h56
[ ] [ envie esta mensagem ]






"Em tudo na vida a perfeição é finalmente atingida,


não quando nada mais existe para acrescentar,


mas quando não há mais nada para retirar."


(Antoine de Saint-Exupéry)



- Postado por: Kris às 17h07
[ ] [ envie esta mensagem ]






Fragmentos de um Diário

Amo
as águas no instante em que não são do rio
Nem pertencem ainda ao mar.....
.....árduas planícies rosto incendiado pesando-me
nos ombros
hirto....tatuado no entardecer de magoada cocaína.....

.....leio baixinho aquele poema Eu de Belaflor
nocturna sombra de corpo embriagado
fogos por descuido acesos no húmido leito dos juncos...
...altíssima margem....inacessível noite de Florbela

e o soneto dizia: Sou aquela que passa e ninguém vê
sou a que chamam triste sem o ser
sou a que chora sem saber porquê

...apesar de tudo conheço bem este rio
e o cuspo diáfano do coral o sono letárgico
dos reduzidos seres marinhos esmagados
na pressa do mar...possuo este resíduo de vida estelar
gravada na pele está a cabeça de medusa loura....dói
nas comissuras penumbrosas das falésias
que me evocam
os ternos lábios das grandes bocas fluviais.....

...sinto o rigor das plantas erectas as vozes esparsas
os corpos de ouro enleados na violência das maresias....
...junto á foz de meu inseguro desaguar...continuo sentado
escrevo a desordem urgente das horas...medito-me
cuidadosamente o tabaco amargo pressente-te na garganta
e no fundo inóspito do corpo desenvolve-se
o desejo de fugir....
.... espero o cortante sal-gema das ilhas.....a ilusão
conseguir prolongar-me na secreta noite dos peixes....
...adormeço enfim
para que estes dias aconteçam mais lentos
nas proximidades inalteráveis deste mar....

(Al Berto)



- Postado por: Kris às 14h52
[ ] [ envie esta mensagem ]








- Postado por: Kris às 16h58
[ ] [ envie esta mensagem ]






Se as pessoas que amamos nos são tiradas,

a maneira de fazer com que vivam muito tempo

é nunca deixar de as amar.

(Para a minha Avó)



- Postado por: Kris às 15h56
[ ] [ envie esta mensagem ]






Adeus

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mão à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.

Meto as mãos nas algibeiras
e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro!
Era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.

Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes!
e eu acreditava.
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.
Mas isso era no tempo dos segredos,
no tempo em que o teu corpo era um aquário,
no tempo em que os meus olhos
eram peixes verdes.
Hoje são apenas os meus olhos.
É pouco, mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.

Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor...,
já se não passa absolutamente nada.
E no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.
Não temos já nada para dar.
Dentro de ti
não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.

(Eugénio de Andrade)



- Postado por: Kris às 15h47
[ ] [ envie esta mensagem ]